É engraçado como nossa percepção muda a medida que vamos nos tornando mais velhos. Com certeza o seu eu de ontem não é igual ao seu eu de hoje. Agora imagine comparar seu eu de 10, 15 anos atrás com o você de agora… Assusta néh? Pois é, eu sei.

A Dani de 18 anos atrás tinha sonhos, tantos que ela mal podia contar nos dedos das mãos. Era sonhadora nata, daquelas que achava que iria trabalhar na empresa dos sonhos, morar sozinha na casa/apto dos sonhos, ter amigos pra fazer festas até altas horas e acordar bem no outro dia, conseguir um intercâmbio, ter inúmeros projetos bem sucedidos e ter um romance daqueles de capa de cinema a tira colo só para fechar.

Ledo engano….Só quem já passou dos 20, ou já chegou na casa dos 30 sabe.

Infelizmente a vida não acontece como nos filmes, a vida real é um pouco mais esperta do que a gente imagina.

É claro que a Dani de lá pra cá, passou por muita coisa. Coisas boas e ruins como todo mundo, e que hoje tudo isso soma a Dani como ela é hoje.

Eu não fui trabalhar na empresa dos sonhos (ainda), tão pouco criei tantos amigos assim para encher uma casa, nem mesmo fui fazer intercâmbio. Até que tive alguns projetos sim, mas todos mal sucedidos até agora e o grande romance? Bem, ele não aconteceu do jeito que eu esperava, mas pelo menos aconteceu, e hoje graças a isso, consegui pelo menos realizar o sonho de ter a minha casinha. A vida é realmente engraçada néh?

E para mim, é ai que mora o segredo da coisa. Só estou contando isso porque, caso você seja mais novo do que eu, isso pode mudar a sua vida:

Não é sobre se lamentar pelo que não deu certo, é sobre celebrar o que você já conseguiu.

Parece óbvio, mas nem todo mundo presta atenção nisso e às vezes o óbvio também precisa ser dito…

Nem todo mundo vai ganhar o prêmio Nobel aos 18 anos, nem mesmo vai conseguir ser um expert na sua profissão aos 20, e alguns muito menos irão ter a sorte de sair da própria cidade, quanto mais do país. Mas quer saber? Isso não te torna menos importante ou menos capacitado, isto não te inválido como individuo. Só te torna mais forte. Só te torna você.

Sabe aquela famosa frase: cada um tem sua jornada? Pois então… Eu sou do time que aprendeu desde cedo que cada um segue o caminho que pode seguir. Não estamos em uma corrida para ver quem de nós conseguiu “chegar lá”, pasmem… Estamos aqui para viver!

E convenhamos, eu sempre achei essa expressão um saco, quem determina a linha de chegada? Quem é que define quem realmente chegou lá ou não? Afinal de contas onde é “lá” mesmo?

Em uma vida onde tá todo mundo expondo o que faz de melhor, esquecemos que é nas perdas e nos momentos que tá tudo cagado, que a vida acontece.

Todo mundo tem alguma coisa pra contar e todo mundo tem alguma coisa que quer esquecer, mas é a soma de tudo isso que te faz ser quem você é e o que te trouxe até aqui. Sempre vai depender apenas de nós querer admirar a paisagem enquanto anda ou focar apenas nas pedras do caminho.

Ter uma régua sempre na nossa frente é traçar uma linha certa e sem freio pra frustação. Quem é que aguenta isso?

Em tempos de redes sociais, pandemia e caos, a gente tá sempre exigindo o melhor de tudo e de todos, porque o amanhã não pode esperar e eu preciso ser melhor que o fulano que já tem uma empresa e fatura milhões…

Mas será mesmo? Acho legal a gente se preocupar com o futuro, mas e o hoje? Como você fica no hoje? – No hoje, a gente tá esquecendo de ser aquilo que realmente devemos ser. Nós mesmos.

E quer saber? Tá tudo bem mudar os planos no meio do caminho, ninguém nasceu com GPS embutido pra traçar um único destino. Aquele recalculando rota ás vezes pode ser a melhor coisa que poderia acontecer na nossa vida. Ou pelos menos a mais necessária para nós naquele momento.

De certa forma, tá todo mundo rodando por ai sem rumo pra ver no que dá, e para mim viver tem muito disso, quem sabe na outra esquina a gente não acha o tão sonhado pote de ouro no fim do arco-íris? Quem sabe…

Talvez eu faça essa pergunta para a Dani de 10 anos no futuro:

E aí meu anjo? A gente já chegou lá?

Compartilhe!